Em 2010, a FNE (Federação Nacional dos Engenheiros) promoveu, juntamente com o SEESP, o “1º Seminário Internacional de Trabalho em Altura”. Foi nesse encontro que surgiu a proposta de se criar uma NR (Norma Regulamentadora) específica para esse tipo de atividade que, no Brasil, ainda é o responsável por grande parte dos acidentes de trabalho, inclusive com vítimas fatais. Na sequência, a FNE levou a reivindicação para o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que aceitou, sem resistências, criar um grupo tripartite para elaboração da norma.

Em tempo recorde, aproximadamente um ano, como destaca o diretor do SEESP, José Manoel Teixeira, a NR foi discutida, elaborada e depois publicada no DOU (Diário Oficial da União). Teixeira, representando a FNE, fez parte da CTPP (Comissão Tripartite Paritária Permanente), instituída pela SIT (Secretaria de Inspeção do Trabalho) do MTE, para elaboração da norma. Do grupo participaram representantes do governo, dos trabalhadores e dos empresários.

Fonte: http://www.seesp.org.br/site/imprensa/noticias/item/2527-nr-35-para-reduzir-acidentes-no-trabalho-em-altura.html

Portaria SIT n.º 313 (23/03/2012) sofreu alterações e atualizações que podem ser encontradas no link abaixo.

Aqui , a última atualização da NR-35.

Buscando dirimir dúvidas na interpretação da Norma, foi publicado o Manual de aplicação, que pode visualizar abaixo.

Manual de auxílio na interpretação e aplicação da NR-35  Trabalho em altura

A história da NR-35 não parou por aí e em 2014 foi complementada pelo anexo abaixo, acesso por cordas, o e Grupo Tripartite continua reunindo-se, na busca de melhorias na segurança dos trabalhadores.

Manual de auxílio na interpretação e aplicação do anexo “Acesso por corda” da NR-35 Trabalho em altura